CASAMUNDI • agência, cursos e muitas maneiras de viajar

 In para aprender, post

No topo de um prédio com vista para o Guaíba, a Casamundi Cultura foi criada para propiciar experiências de viagem – saindo ou não de dentro de Porto Alegre. Com encontros, cursos e palestras, o centro cultural põe na mala temas como literatura, design, fotografia, cinema, arte e relações internacionais. Também organiza expedições que fazem pensar sobre as mudanças do mundo contemporâneo. Conversamos com Tiago Halewicz, diretor cultural do espaço e pianista especialista em Chopin.

Tiago Halewicz, diretor da Casamundi Cultura (foto: Rafaela Pechansky)

• A Casamundi tem como base o turismo e as atividades culturais. Quando passaram a andar juntos?

Em 2015, conheci Chay Amorim e Fernanda Morassuti, hoje minhas sócias. Estavam à frente da Casamundi Turismo há 10 anos e viam que os viajantes, cada vez mais qualificados, necessitavam de muito mais do que um serviço de venda de passagens ou pacotes turísticos. Estavam se instruindo, tendo outros níveis de exigência. Atentas à transformação do mercado, passaram a desenvolver ações culturais destinadas aos clientes. Surgiu então a necessidade de criar um braço da empresa dedicado exclusivamente à cultura – e foi aí que eu entrei. Em poucos meses, providenciamos um espaço, desenvolvemos o plano de negócios e inauguramos a Casamundi Cultura.

 

• Arte e literatura são também, para vocês, formas de viajar. Como esse diálogo define a agenda da instituição?

Aqui compartilhamos experiências, promovemos a integração entre os frequentadores e o convívio em um ambiente aberto, fresco, receptivo e contemporâneo. Acredito que a grande função da Casamundi Cultura seja encorajar as pessoas a enfrentar desafios, seja na arte, na literatura, no ato de viajar fora da nossa zona de conforto. Todos os dias eu me sinto instigado a provocar o público com uma programação que foge do convencional. Não estamos aqui somente para trabalhar com os cânones, queremos trazer à luz assuntos pouco explorados, autores até então pouco conhecidos, destinos exóticos. Fugir do tradicional, do comum.

• Qual a importância de Porto Alegre para esses trajetos, tanto os reais quanto os imaginários?

Sempre digo que a escolha do espaço da Casamundi não foi em vão. Estamos em um lugar estratégico, em uma sala toda de vidro, no décimo nono-andar de um prédio. Tudo convida a olhar para fora. Estamos envoltos pela cidade com a qual dialogamos a cada momento: entendemos melhor sua dinâmica, sua geografia e nos sentimos instigados a pensar o espaço como parte de nós. Não exclusivamente Porto Alegre, mas a urbe em si; o espaço e tudo o que ele pode nos proporcionar nos campos cultural, social, antropológico.

A Casamundi Cultura funciona como um laboratório. Experimentamos a cidade, observamos. E essa prática nos qualifica a experimentar outras cidades. Nos encoraja a enfrentar o desconhecido em vários campos do conhecimento e em várias disciplinas criativas. Em função da viagem que faremos com um grupo para Israel e Jordânia, por exemplo, organizamos um ciclo em torno do Oriente Médio, com cursos sobre história, patrimônio e até mesmo sobre os significados do véu islâmico. Nos sentimos um pouco Mário Quintana:

 

Olho o mapa da cidade

Como quem examinasse

A anatomia de um corpo…

// Para viajar sem viajar: a série “Comida e Cidade” mistura história e gastronomia – o próximo encontro é sobre Berlim, com a pianista Olinda Alessandrini, no dia 8/3. Destacamos também a oficina “Versos livres para dizer em voz alta”, com Diego Grando, no dia 12/3. A programação completa está no site.

// Para brindar: o St. Partick´s Day, no dia 17 de março, será celebrado em clima de volta ao mundo. Uma de suas cervejas especiais, a Praha (pilsen que homenageia a capital da República Tcheca) estará em uma das torneiras da Regional Cervejas Artesanais. A função acontece das 18h às 23h30, na Múcio Teixeira, 329. Para completar, hambúrgueres do Lucho Burger e som da banda Muralha Trio.

Casamundi Cultura

Av. Borges de Medeiros 2500, sala 1909

Site: www.casamundicultura.com.br

Fb: /casamundicultura

Ig: @casamundicultura

 

Fotos: Rafaela Pechansky e acervo pessoal

Recommended Posts

Leave a Comment